DESAFIANDO O HOMEM A OUVIR

Couple-talking-indoors

No geral, o homem tem dificuldade de ouvir as mulheres.
Compreender as mulheres então é quase utopia.
Em sua defesa eles fazem uso de dois argumentos: “Mulheres falam demais” e “Mulheres são confusas”. Isso é quase um dogma no universo masculino. Mesmo que não haja embasamento. Muitas mulheres concordam que estas afirmações por que gostam mesmo de falar, e por que também não entendem a si mesmas, às vezes.

Quanto ao primeiro item, a comunicação é o princípio de um bom relacionamento e a mulher não apenas sabe, mas tenta praticar isso. Para a maioria delas, dialogar é um prazer, uma ação natural, um ritual e, em algumas situações, uma terapia.
É comum presenciarmos um grupo de mulheres sorrindo e falando – todas ao mesmo tempo – e todas entendendo tudo, mesmo quando estão “confusas”. Por que os homens não conseguem atingir essa percepção ou interação, às vezes, nem conversando com uma única mulher?

Para muitos homens, conversa é apenas uma necessidade. Comunicar é algo com propósito. Deve ter um início, meio e fim e, durante o processo, deve evoluir, seguir um rumo, caminhar para algum lugar. (Paradoxalmente muitos homens gostam de falar bobagens, o que é diferente de dialogar).

A ideia de que a mulher fala (e muito) mais do que o homem não é recente. Ela é disseminada há tempos, está enraizada no senso comum, e ganhou mais peso quando, em 2006, a neuropsiquiatra americana Louann Brizendine publicou o livro “O Cérebro Feminino”, trazendo a afirmação de que as mulheres falavam 20 mil palavras por dia, enquanto os homens falavam 7 mil, dando status de “prova científica” à crença e sendo usado como referência até hoje.

Ocorre que, no ano seguinte, o psicólogo Matthias Mehl e sua equipe, elaboraram um novo estudo para testar a afirmação, chegando à conclusão de que homens e mulheres falam, em média 16 mil palavras, e que a diferença entre eles seria de apenas 7%, ou seja, praticamente irrelevante. Porém, não creio que este segundo estudo tenha produzido o mesmo alarde que o primeiro.

Outra informação que também ganhou os livros foi a da Associação Britânica de Medicina (BMA), que divulgou que as mulheres sofrem quatro vezes mais problemas nas cordas vocais do que os homens. Porém, não sabemos se todos os fatores foram levados em conta. bigstock-Confused-woman-people-feelin-49050932

Quanto a ser confusa, não parece haver evidências científicas para afirmação, até por que, seria uma pesquisa demasiadamente complexa. Porém, um estudo realizado com meninos e meninas no início da puberdade, fase em que são capazes de tomar decisões morais, demonstrou que os meninos resolviam um problema de maneira mais direta, sem considerar muito as consequências dessa decisão. As meninas, por sua vez, frequentemente nem conseguiam chegar a uma decisão no tempo estipulado. Isso por que analisavam todos os fatores relacionados ao problema. A maneira feminina de tomar decisões é mais relacional, e, portanto, um tanto mais complicada do que a masculina.

Isso aponta para o fato de que, na verdade, não é uma deficiência, mas sim uma virtude. Uma visão mais ampla e ponderada da situação e uma preocupação com os resultados em longo prazo. O mito da confusão também é popular, especialmente na Internet, onde páginas trazem charges, piadas e quadrinhos com o tal estereótipo, muitas vezes compartilhado também por mulheres.

Alguns sites voltados para o público masculino (e machistas, diga-se de passagem) afirmam que a mulher é confusa propositalmente, usando desse artifício para manipular e evitar que o homem a conheça de verdade ou que tenha controle sobre o relacionamento. Mas esta visão megalomaníaca me parece muito mais mero sarcasmo.

Envie isso aos homens que você conhece:

O outro lado da moeda.
Independentemente de as mulheres serem ou não tagarelas ou confusas, uma coisa é certa: a maioria esmagadora dos homens não presta muita atenção no que elas têm a dizer. Talvez por crer na dita premissa, muitos acabam ignorando boa parte do que elas dizem. Como se criassem um filtro que retém apenas o que é “importante” e dispensa o resto.

A pergunta é: Quando ELE não ouve é por que ELA fala muito? Ou ELA só fala muito para ver se ao menos alguma coisa ELE ouve?
Por duas razões, é neste “filtro de diálogo” masculino que está parte do problema. Primeiro, para a mulher, TUDO o que ela diz é importante. Segundo, por que o filtro masculino tem defeito de fábrica… É tendencioso e ultrapassado. Exemplos:

Se a mulher diz que deixou cair o Playstation dele enquanto procurava algo na estante, ele OUVE, e se desespera. Aquilo é muito importante! Mas um “tive um dia ruim no trabalho” não é. Pois “ela sempre tem” ou ele também teve.
Um alarme de carro soa às 2:00h da madrugada. Ele OUVE, pois isso é importante! Pode ser o carro dele. Mas um choro de bebê, no mesmo horário, não é. Ele só quer mamar, e eu não tenho peitos.

Funcionalidade x Naturalidade
Uma das razões que geram falhas na comunicação é a errônea ideia do homem de que a mulher sempre fala algo esperando uma solução. Fazendo uma analogia um tanto estúpida, mas de acordo com a praticidade masculina, ele enxerga a comunicação feminina como a de um automóvel:
Está produzindo um “ruído estranho”: Se ele acha que está fazendo algo de errado, tenta cessar o “ruído” fazendo alguns ajustes em seu modo de lidar. Se acha que não está fazendo nada de errado, é defeito no carro. Para ele “só faz barulho se precisa de algo”.

Homens são práticos, querem resolver. Mas, muitas vezes, amigo, a mulher só quer que você ouça! (Elas vão grifar esta frase).
Não. Nem sempre ela quer uma solução. Talvez ela queira você demonstre interesse nela e no que ela tem a dizer. Não simplesmente por que a importância dela depende da sua atenção, mas por que FAZ PARTE do processo de relacionamento. E quando você ouve, tem a chance dar exatamente aquilo que ela deseja naquele momento. O escritor e jornalista francês Pierre Marivaux foi simplesmente brilhante em sua afirmação: Saber ouvir quase que é responder”.

Homem acha que mulher se preocupa com ele quando ela FAZ.
Mulher sente que o homem se preocupa com ela quando ele OUVE.

Então, aquele que deseja entender melhor as mulheres tem de esquecer o filtro. Pare de usar, pois ele não funciona.
Em seu filtro, sogra não é importante. Mas é ninguém menos do que a MÃE da sua esposa/namorada.
Em seu filtro, casamento é chato e tudo igual. Mas pode ser o casamento da melhor AMIGA dela. A mulher distingue entre UM vestido e O vestido. Entre Um restaurante e O restaurante. Entre UM filme ou livro e O filme e O livro. Entre UM passeio e O passeio.

Se você é homem e acha sua parceira confusa, pare, escute e preste bem atenção no que ela diz. Se você se interessar pelo que ela diz é muito provável que ela comece a falar menos. confused-guy

Sabe por que muitas vezes a mulher diz que o homem “mudou” depois de uns anos? Por que na fase da conquista ele estava disposto a conversar com ela por horas sem se preocupar ou se estressar. Agora as respostas são rápidas e diretas, quando não bruscas. E “comunicação não é o que você fala, mas o que o outro compreende do que foi dito” (Claudia Belucci).

Se quiser compreender, precisa querer. A menos, é claro, que a pesquisa realizada pela Universidade de Sheffield esteja certa…
O estudo afirma que se os homens não escutam as mulheres não é por má vontade, mas porque o cérebro deles tem mais dificuldade de compreender a voz feminina. As mulheres falam com voz mais aguda e musical que os homens, emitindo uma gama maior de ondas sonoras, difíceis de “decodificar”, que fazem o cérebro masculino trabalhar mais e ter certo cansaço depois de algum tempo.

Você pode achar que a mulher não possui foco, não consegue desenvolver um diálogo linear. Porém, é provável que você é que não tem habilidade de analisar diferentes enunciados e sentenças ao mesmo tempo sem fundir a cabeça, e com o agravante da onda sonora. E você se achando genial por ser capaz de resolver questões complexas em um jogo de vídeo game cheio de tarefas?

Manchetes x Entrelinhas
Homens, em sua maioria, são objetivos. Dizem sim, para sim; não, para não; e azul, para azul (ou roxo, ou verde), e resumem um acidente de carro ou um dia inteiro em duas frases. Mulheres dizem não, para sim; talvez, para não; sim para talvez; dizem roxo, para roxo; lilás, para lilás; bege, para bege; e detalham coisas que julgam importantes para compreensão do universo em torno do fato.

Edwin L. Cole, em seu livro “Homem ao Máximo” diz: Homens atentam para as manchetes, as mulheres veem as letrinhas. Além disso, mulheres não costumam gostar de dizer o óbvio, de forma óbvia. Ela espera que o homem tenha o mínimo de sensibilidade para perceber. O que às vezes pode levar minutos, horas, dias… Ou anos. mcgurk-effect

Discorda de mim?
Mostre seu diferencial… ouvindo.
No filme “Do que as mulheres gostam” o publicitário interpretado por Mel Gibson se mostra muito mais poderoso e inteligente enquanto detém a capacidade de ouvir as mulheres.

Deus é isto: A Beleza que se ouve no silêncio. Daí a importância de saber ouvir os outros: a beleza mora lá também.” 
(Rubem Alves)

, ,
One comment on “DESAFIANDO O HOMEM A OUVIR
  1. Muito bom!!! Aliás, como sempre…
    Na minha opinião, homens (nem todos) tem dificuldade em entender pq não gostam de ler… Os homens que mais precisariam ler esse post, por exemplo, não lerão…. Mais uma oportunidade perdida…. Rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>