RECONSTRUIR

Simple-House-Plan-Casual-DesignNão se deve construir um castelo sobre a areia. Não se coloca remendo de pano novo em vestido velho. Não sei coloca vinho novo em odres velhos. E o que mantém uma casa em pé é o alicerce, não o acabamento.

Imagine que você e seu parceiro decidiram morar juntos. Encontraram uma casa que lhes pareceu bela e que atendia às suas condições e a mobiliaram. Ela tinha cheiro de nova. A pintura estava conservada, as paredes alinhadas, portas e janelas estavam funcionando bem, tinha tudo o que uma casa simples, mas aconchegante, precisa. Havia sim alguns pequenos detalhes, mas, aparentemente, irrelevantes. Se apaixonaram pela visão do futuro lar e iniciaram a nova jornada.

Após um período de tempo começaram a surgir os primeiros problemas. Havia ruídos nos pisos de madeira, o forro esfarelava como que pela ação de cupins, algumas rachaduras surgiam, torneiras e encanamentos apresentavam vazamentos. Mas isso não tirava a beleza do lar. A mulher se incomodava, o homem a achava exagerada, pois para ele eram apenas detalhes. Mesmo assim, tratavam de fazer alguns ajustes para melhorar a situação. Uma torneira nova aqui, uma pintura ali, um verniz acolá, um cano novo, e ela voltava à boa aparência de sempre.

house_earthquake_crackMais um tempo se passou e os problemas aumentaram. Desta vez telhas se soltavam, parte do reboco caia. Ao transitar dos carros pela rua, a casa parecia tremer e as rachaduras agora assustavam. Era hora de contratar um profissional. Um homem experiente analisa detalhadamente e conclui:
A casa é bonita e alinhada, porém, foi construída sem a devida estrutura. Quando os problemas apareceram ela foi reformada superficialmente para que não perdesse o valor, mas o problema é estrutural. A solução é reforçar as colunas, inserir umas vigas, refazer umas fiações, derrubar algumas paredes e só então cuidar do acabamento.

O casal não consegue compreender. Estava tudo tão bonito. Não aceitavam essa sentença. Era uma bela casa e eles estavam apaixonados por ela. Não queriam aceitar mexer tanto na estrutura. Contrataram então outro especialista, que repetiu a sentença. A casa precisa de uma reforma mais profunda, foi construída sobre uma base irregular. Então o casal decide não mais contratar ninguém. Eles cobrem os vincos com massa fina, cobrem rachaduras, pintam tudo novamente, trocam o piso, colocam umas flores na entrada e permanecem na casa.

Parece absurdo, não?
É óbvio que estão se enganando. Não há possibilidade de isso dar certo. Ninguém com um pouco de sensatez faria isso.
Então, porque tanta gente faz isso com o namoro ou casamento?

Cracked relationship

Por incrível que pareça, muitas pessoas fazem isso em seu relacionamento amoroso. Elas tentam passar uma tinta em paredes ocas. Tentam colocar portas novas em batentes tortos. Tentam colocar pisos novos em contrapiso irregular. Tentam consertar a goteira com lona debaixo da telha. Tentam cobrir rachaduras com massa corrida, enfim, não funciona.

Traição, agressão, insultos, falta de compromisso, de afeto, de intimidade – especialmente sexual – falta de carinho, companheirismo, empatia, falta de tempo juntos, de lazer, falta de sorriso e de descanso, falta de divisão de tarefas e de planejamento, falta de perspectivas e sonhos pro futuro. Se várias destas coisas estão acontecendo simultaneamente, há um problema estrutural. Não adianta fazer uma viagem para Cancún, dar de presente uma joia, iPhone, carro ou  flores, tentar “apimentar a relação” com fantasias eróticas, fazer uma festa para comemorar as bodas ou um ensaio fotográfico romântico. Isso tudo pode deixar a união mais bonita, mas não mexe na estrutura.

divorcioMuitos relacionamentos foram construídos em contextos conturbados, por razões complicadas, em meio a turbulências, de forma desorganizada e, principalmente, sem estrutura adequada.
Ingressar num casamento para fugir do domínio e controle dos pais; começar uma relação com uma pessoa exclusivamente para esquecer outra; entrar num relacionamento por medo de ficar só ou pura carência; protejar no outro a solução de seus conflitos pessoais; desistir de encontrar uma pessoa especial ou apaixonar-se cegamente ao ponto de acreditar que tudo dará certo por que o sentimento é forte o suficiente pra superar qualquer dificuldade; buscar cegamente um “substituto” do pai ou da mãe, seja para reproduzir fielmente o que este fazia ou para suprir aquilo em que estes falharam, e muitos outros, são exemplos de estruturas irregulares, são exemplos de colunas frágeis. São relacionamentos regidos por outros sentimentos, talvez egoístas e narcísicos.

Elas relações podem até começar belas, como aquela casa. Mas ambos entram com sua estrutura comprometida, escondendo as rachaduras interiores. Como já dito em outro texto, não existe jeito certo de iniciar uma relação, mas é possível sim que exista jeito errado.

Muitas vezes as brigas, discussões, desentendimentos não são pontuais mas sim reflexos de frustrações que já existiam muito tempo antes de se conhecerem.
Qual a solução?

reconstruindo-o-coração

Reconstruir, recomeçar, buscar os ajustes necessários individualmente, em cada área da vida, e simultaneamente analisar e aplicar na estrutura da relação. Um homem e uma mulher com saúde emocional razoavelmente equilibrada têm muito mais chances de construir uma relação estável e feliz.

“A vida segue…, nós seguimos, mas se reconstruir ou desconstrui-se também é necessário. Por que reinventar-se faz parte do caminho, faz parte da vida”.
(Philipe Sotte)

Não adianta atirar no outro questões do passado, remoer mágoas de erros já perdoados, comparar situações utópicas, listar os defeitos e esquecer das qualidades. Nada disso acrescenta. Porém, entender que cada um tem uma história e que essa história pode estar interferindo, é o primeiro passo.

Talvez possam fazer isso pessoalmente, com perdão, reflexão, empatia e cumplicidade. Talvez a situação seja mais crítica e precisem, assim como a casa, de um bom profissional para colaborar e direcionar o processo. O importante é ouvir o que este tem a dizer. Lembro de uma frase que li num livro do publicitário Alexandre Peralta: “Quando estiver doente, procure um médico, mas ouça o que ele diz”.

Chega de colocar band-Aid em fratura exposta. A reconstrução serve para muitas áreas da vida, conforme já ensinou Jesus Cristo Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo forçará a roupa, tornando pior o rasgo”.
Construa uma nova relação, com ambas as partes buscando a felicidade do outro e não despejando sobre este seus conflitos em forma de culpa.

A reforma pode trazer transtornos, dar trabalho, fazer muita sujeira. Mas é um grande investimento para que você nunca precise abandonar a casa que tanto ama. Nas palavras de Nilton Mendonça “A pior e mais dolorida atitude é a reconstrução, mas é a nova base pra vida nova”.

Mãos à obra!
Coração e mente, também!

Siga-nos no Twiiter: @sac_s2

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>