ENQUANTO EXISTE DÚVIDA, AME!

 conversationonafirstdate 
Como saber se ele é o amor da minha vida?
Como saber se ele me ama?
Como saber se eu o amo?

Antes que você crie falsas expectativas, não tenho as respostas. Ao menos não as respostas exatas. Sei que muitas mulheres gostariam de ouvir um “sim, ele é”, para dormirem mais tranquilas e acrescentarem essa resposta às suas atuais expectativas. Por outro lado, muitas gostariam de ouvir um “não, esqueça”, para terem um pouco mais de coragem para terminar tudo.

Não, não há receita, não há fórmula, não há respostas exatas, pois relacionamentos pertencem à área de humanas e biológicas. O amor é uma decisão. Amor é uma escolha.

A vida é construída e desenvolvida por meio de decisões. Desde as fáceis, como escolher o sabor do suco no cardápio do restaurante, até as mais complexas, como decidir um vestido de noiva ou até mesmo se deve ou não casar.  Algumas decisões podem ser postergadas, outras exigem um posicionamento imediato. No campo dos relacionamentos vários ingredientes tornam algumas decisões ainda mais difíceis. O medo de errar, o medo de se arrepender, o receio de cometer uma injustiça, de estar iludindo ou sendo iludida, etc. O fato é que muitas das escolhas não serão tomadas com bases em certezas.

Certezas… E é claro que gostamos delas. A vida seria, teoricamente, mais fácil:
“Tenho certeza de que o amo e ele me ama…”
“Tenho certeza que vai dar certo…”
“Tenho certeza de que seremos felizes…”

Essas são afirmações ousadas, embora venhamos a ouvi-las de vez em quando. Certezas como essa resolveriam alguns de seus problemas relacionais, não? Tanto que mesmo as negativas seriam uteis:
“Ele não quer mais…”
“Ele ama outra pessoa…”
“Não vou conseguir aquela vaga de emprego”.
Afinal você sacudiria a poeira e partiria para outra.
 
Recentemente tive contato com uma jovem, que depois de anos de namoro – com algumas poucas idas e vindas – trazia o seguinte conflito: “Meu relacionamento chegou numa bifurcação. Ou caminhamos para um fim ou para o altar. O que devo fazer?”
embora sejam dois extremos, não é uma situação tão incomum. E a mulher pode se ver diante do impasse: “Não tenho certeza se quero estar com ele, mas tenho medo de perdê-lo”.

Não podemos ter a pretensão de eliminar todas as dúvidas de um relacionamento. Ele não é estático, é dinâmico. Relacionamentos estão na área de humanas e biológicas, não de exatas.
Relacionamento envolve passado (que não pode ser alterado), presente (que deve ser vivido) e futuro (que deve ser planejado, mas que não permite total controle).

6a00d8341c004753ef016762665e49970bO que não deve acontecer em hipótese nenhuma é atribuir ao outro a responsabilidade de fazê-la feliz. A felicidade, como já explorado aqui, é a estrada e não deve ser estruturada sobre outrem, pois nunca se sabe até quando este estará conosco. O que podemos fazer é minimizar os riscos de decepções buscando entender: Quem de fato é o outro? O que ele espera de você? Em quê precisa e pode melhorar? e O quê nunca vai mudar? Além disso, você deve analisar também a si mesma, buscando entender: Quem de fato é você? O que espera dele? Em quê você pode mudar e melhorar? e O que nunca vai mudar? Ambos terão a difícil tarefa de compreender e suportar aquele detalhe ou traço de personalidade que o outro carregará por toda a jornada na terra.

Impressiona a dificuldade que muitas mulheres têm em responder algumas questões que  podem ajudá-la a tomar decisões. Analise-as e veja o que elas falam sobre você e seu relacionamento:

- Você deseja ver o rosto dele todas as manhãs pelos próximos anos e até o fim de sua vida?
- Deseja acordar ao lado dele de segunda a domingo?
- Suportaria até o fim aquele defeito ou traço de personalidade que te irrita, mas ele insiste em ser ou fazer, até mesmo sem querer.
- Aceitaria o fato de que nem todos os seus desejos e anseios serão supridos?
- Aceitaria o fato de que existem algumas características ou ações que você admira ou gosta, mas que ele não possui ou fará?
- Entende que, quando nos unimos efetivamente a uma pessoa, unimo-nos também à sua família e amigos, direta ou indiretamente?
- Se sente confortável com a ideia de que, uma vez estando com ele e selando um compromisso monogâmico, estará abrindo mão de qualquer outro relacionamento amoroso, mesmo que tenha a impressão de que “agora encontrou a pessoa ideal”?

- Confia nele a ponto de construir uma trajetória e dividir sua vida?
- Está emocionalmente preparada para perdoar e pedir perdão pelas falhas do dia-a-dia?

Para muitas mulheres há vários “não sei” nesta lista. E ela é apenas um exemplo simples de como a decisão é importante e carente de certezas.
Nas palavras de Laécio Malta: “Os amantes vivem na constante incerteza de não ser pelo outro amado com a mesma intensidade do Amar”.

Abro um parêntese para dizer que traição, violência, opressão e desvio de caráter não são traços de personalidade. Essas atitudes já são sinal vermelho para que você reveja sua união. Não é como em um programa de auditório, em que você ganha tudo ou perde tudo. Na vida real as escolhas trarão ganhos, perdas e mudanças.

Uma forma fria e realista (mas eficaz) de se pensar é:
Essa certeza será construída dia após dia, e, no decorrer da caminhada ou mesmo no final, você saberá se valeu a pena a decisão que tomou.
Só se descobre que se ama AMANDO. Se descobre se quer QUERENDO. Diferentemente da paixão, o amor não é uma patologia. Não é um sentimento avassalador. É uma ESCOLHA!
Me apoderando do trecho de uma música do cantor Projota, digo: “O tempo vai dizer se isso é atoa. A gente mal comanda a gente, muito menos outra pessoa”.

E se você necessita de uma base mais filosófica…
380bf1c7defebd5419a3cc0c8dcd615b

Pense!
Se um homem disser que a ama todos os dias, mas não der atenção, carinho, afeto, cumplicidade. Se não fizer nada, apenas falar. Você vai acreditar que é amor? Creio que não. Pois se a resposta for sim é sinal de falta de amor próprio. 
Por que duvidaria? Simples, por que amor é atitude. Amor é mensurável. E o termômetro é a ação, é o movimento em direção ao objeto amado.

Sentimento não se mede senão por ações. Logo, quer descobrir se ele a ama. Observe o que ele é, o que diz e o que faz. Especialmente o que faz por você. Quer descobrir se o ama. Observe o que faz ou o que está disposta a fazer por ele e vice-versa.

Enquanto estiver em dúvida, ame!

, ,
2 comments on “ENQUANTO EXISTE DÚVIDA, AME!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>